quarta-feira, 10 de junho de 2009

GVT: O “Colégio de Deus”









A história do Ginásio Escola Normal Virgílio Távora (GVT) se confunde com a própria história de seu idealizador assim como se tornou um marco na educação e cultura de Aracoiaba.
O Dr Salomão Alves de Moura Brasil dedica seis capítulos de seu livro O menino que disse sim a contar essa história, como não sou capaz de passar a mesma magia de suas palavras e também não desejo prolongar essa leitura vou resumi-la.
Tudo começa na sua volta definitiva para Aracoiaba, empenhado a construir um colégio, conseguiu adquirir por meio milhão de réis uma fábrica de algodão desativada que pertencia a Dona Natália Vaz de Almeida que em sua homenagem seu nome foi dado ao auditório do Colégio.
No inicio, a obra despertou curiosidade, interesse e até dúvidas, aonde muitos iam somente para conferir se realmente a reforma na fábrica seria para transformá-la em uma instituição educacional.
Assim depois das obras concluídas, o GVT passou a funcionar dando um impulso na criação de novas instituições por todo o município.
No colégio além do ensino passou a funcionar um cinema com “filmes de alto nível”, teatro, aulas de educação física. Suas apresentações teatrais ocorreram em vários municípios. Não se pode esquecer-se de mencionar o Observatório Moura Brasil, talvez o único local dedicado a astronomia no nosso município.
Por seu valor educacional, histórico e cultural fica aqui nossa descrição em tom de homenagem ao local e o que ele representa assim como ao seu idealizador recentemente falecido considerado o “papa” da educação de Aracoiaba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário